Lewis Watson: o Ed Sheeran AINDA desconhecido

Existem artistas que sem querer cruzam com o nosso caminho e ficam nele. Apesar desse post ser sobre o Lewis Watson, eu preciso te situar nesse sentimento que é basicamente o que eu sinto pelas músicas dele – um bem raro que você já deve ter sentido – e o melhor jeito de explicá-lo, é passando por histórias que eu vivi que envolvem outros artistas. Mas comece dando play neste vídeo, foi por esta música que eu conheci o Lewis. Foi na primeira frase dela que eu me apaixonei completamente pela voz dele.

Pode continuar lendo se preferir, acho que vai dar o tom perfeito para o post para ser honesta, mas por favor escute sem nenhum outro som para te distrair. Escute só Lewis Watson.

Muitos anos atrás, bem antes de primeiro grande ep dele – o No. 5 -, muito antes do +, ou x ou ÷, conheci um Ed Sheeran bem desconhecido, sempre falava pras pessoas escutarem e ninguém nunca ia ouvir as músicas dele. Lembro que quando saiu o vídeo clipe de Lego House com o Rupert Grint eu surtei, era agora a hora, a carreira desse carinha desconhecido ia começar. Mais de 1 anos depois desse vídeo clipe que meus amigos começaram a ir conhecer a música dele, isso porque outros amigos deles começaram a também indicar ele.

Hoje em dia deve fazer uns 3 anos que conheci Lewis Watson, talvez um pouco mais, parece muito tempo pois venho assistindo os números em volta dele duplicarem – talvez triplicarem -, mas quando penso que Sink or Swim saiu em 2012, me pergunto porque e como fiquei tantos anos longe dele.

Esta música que você escutou ou ainda está escutando é essa de 2012, feita por um Lewis de ainda só 20 anos que ainda ia melhorar muito. Este menino britânico de Oxfordshire, nascido no dia 19 de outubro de 1992 lançou esta música no seu EP Another For Sad Songs (traduzindo significa outras 4 músicas tristes), que foi lançado no mesmo que It’s Got Four Sad Songs (que traduzindo significa mais ou menos que o EP tem 4 músicas tristes) que é o EP que fez criou a oportunidade dele assinar com a Warner Bros. Records.

Quando ouvi Lewis Watson pela primeira vez foi graças às músicas recomendadas do Spotify – que foi também onde eu conheci Twenty One Pilots -, me apaixonei de cara pela voz dele, naquela primeira estrofe já tive certeza que tinha encontrado algo novo que iria durar. Aquelas 3 primeiras palavras que vem forte e de uma absoluta calmaria, “Sink or swim”, o Lewis me pegou alí; “hold your breath and just dive right in” me fez ficar até hoje.

Foi um daqueles momentos raros como na primeira vez que ouvi o Ed Sheeran, ou Wake Me Up When September Ends em toda a sua glória, quando ouvi pela primeira vez You and I só com um piano e as vozes, o primeiro solo do Louis da minha vida – que eu ouvia, ouvia e ouvia de novo já que não tinham muitos -, a mesma sensação que tive quando o Tyler começa a literalmente gritar “and now I just sit in silence” em Car Radio e quando ouvi a voz do Harry Styles na primeira frase de If I Could Fly quando escutei essa música pela primeira vez. Eu honestamente, como a louca aficionada, entusiasta e apaixonada que sou por música – principalmente, por descobrir músicas novas que falem comigo da maneira que as minhas favoritas falam – vivo para esses momentos onde parece que a minha ansiedade fugiu do meu corpo e foi embora, tudo isso simplesmente com alguns segundos de uma música.

Lewis Watson provavelmente foi o penúltimo artista desconhecido que teve este efeito em mim – o último foi Twenty One Pilots. Eu de verdade tiro um tempo para conhecer artistas novos o tempo todo, no mínimo eu escuto covers de músicas antigas que já conhecia por artistas novos uma vez por semana, frequentemente fico viciada nesses artistas e músicas por algumas semanas, mas é diferente desse sentimento que eu falei antes, que aconteceram com um Ed Sheeran ainda desconhecido, com Green Day e o Lewis Watson. Nesses casos, é diferente. É bem mais pessoal, forte e emocional do que simplesmente encontrar uma música que eu gosto, tem aquela mesma vibe de encontrar um lugar seguro que acontece quando lemos um livro muito bom, que parece que nos suga para dentro e nos protege da vida real.

Esta música é mais nova – bem mais nova -, do novo álbum dele, midnight – o qual eu com certeza vou comprar em setembro – e felizmente, teve o mesmo efeito sobre mim que as antigas favoritas. Por favor, faça um favor à você mesmo e escute ela!

O ponto aqui é o mesmo durante todo o texto, o quanto essas músicas fazem bem, como elas acalmam a minha ansiedade, como eu tenho certeza que um dia ele vai estourar e eu vou dizer que escuto ele desde 2014 ou 15 enquanto fico irritada com umas posers.

Aquele folk indie, bem acústico que eu amo é exatamente o que o Lewis faz. Parece uma mistura de artistas que eu que eu gosto como The Lumineers, Jake Bugg, com um lado que me lembra o álbum Flickers do Niall, na mesma vibe que a trilha sonora de Life is Strange (o primeiro, não Before the Storm) algumas do álbum solo Harry Styles e definitivamente, aquele Ed Sheeran antigo de The A Team, Cold Coffe e o das músicas mais desconhecidas, acústicas e menos pop apesar de um pouco mais novas dele como Tenerife Sea e Even My Dad Does Sometimes.

Ed Sheeran, Lewis Watson e Harry Styles

Honestamente, o único motivo pelo qual eu comparo os dois é porque acho que se você gosta desse lado mais folk do Ed, você vai gostar do Lewis. É só um gatilho para te convencer a dar uma chance para este artista mais desconhecido usando um que quem sabe você já ame, é mais fácil convencer as pessoas assim apesar de que queria enaltecer ele sem essa comparação que é muito feita. Mas, honestamente, se não gosta do Ed Sheeran, escute também. São dois artistas diferentes, fodas, bons músicos e que eu escuto em ocasiões diferentes.

Se você me segue no Instagram, já indiquei músicas específicas dele por lá, já indiquei playlists minhas cheias de músicas deles, já postei stories simplesmente escutando Lewis Watson e se você realmente me segue e não pegou a oportunidade de conhecer ele mais a fundo ainda, não deixe essa aqui passar. Como argumento final, fica aqui um cover que se você for como eu e souber inglês, serve para apreciar também ele como pessoa, que é sensacional.


Você já me segue no Instagram? Lá eu aviso quando saí post novo, além de postar tutoriais nos stories e muitas fotos! Ah, fala comigo pela dm, juro que sou legal!

J.D


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

Deixe uma resposta