Green Day: através dos anos

“Nossa, eles ainda existem?” Sim meu amor e muito bem. Perdoa meu comportamento passivo agressivo mas é que Green Day é a minha banda favorita desde que eu me lembro por gente, literalmente, eu não sabia o que realmente era ser fã mas tomei a decisão de que seja o que fosse isso, eu seria do Green Day. Se você já ouviu a minha playlist favorita, então deve ter notado que tem muita música deles por lá. Quero dizer, quando tinha 14 anos meu presente de aniversário foi comprar todos os álbuns que eu consegui achar deles no dia e eu quero dizer, são muitos álbuns, 12 se considerarmos só os de estúdio (sem contar os ao vivo e qualquer ep).

A verdade é que Green Day mudou muito com o tempo, o que é alvo de críticas (principalmente durante a época de Uno, Dos e Tré). Mas afinal, a banda começou (com outro nome) em 1987, são 30 anos, quem não mudaria durante todo esse tempo. Porém, sinceramente, “Revolution Radio”, o álbum mais recente, não me decepcionou nem um pouco.

Vou tentar não entrar tão profundamente no trem da nostalgia, mas, não vou negar, a nostalgia bateu forte e eu também não vou nega-la.

16 é aquela música que me diz que eu realmente gosto da banda e não de uma música só. Quero dizer, apesar de ser o primeiro álbum, acabou sendo um dos últimos que eu fui conhecer simplesmente pela dificuldade que eu tinha em achar ele na internet alguns anos atrás e de verdade, valeu o empenho.

De verdade, “When I Come Around” é linda. Não vão viajar e falar muito sobre ela, só digo que sou apaixonada por ela e que ela é um dos meus calmantes favoritos.

Tenho o vinil do álbum Dookie, uma das minhas maiores dores ouvindo o disco é não conseguir simplesmente apertar um botãozinho para ouvir “She” de novo, repetidamente, por horas. De novo, a letra é foda maravilhosa, quem sabe outra possibilidade para uma tatuagem. É uma música que mesmo fala direto comigo e eu não sei lidar com isso sem me apegar pesado nela.

Lembro perfeitamente de ouvir essa música lá por 2005/2006 achando que ela era recente, mal sabia eu que Basket Case é 4 anos mais velha do que eu.

“It’s something unpredictable, but in the end is right. I hope you had the time of your life”

“É algo imprevisível, mas no final é certo. Espero que tenha tido a melhor época da sua vida”

O refrão dessa música é uma das minhas frases favoritas, enquanto ainda me pergunto qual é a minha citação de Harry Potter favorita, essa é com certeza a que eu mais gosto do Green Day e está bem no alto da minha lista de “Frases Favoritas” (isso daria um bom post, quem sabe). Penso seriamente em tatuá-la. Inclusive, esse mesmo trecho foi o nome do meu Tumblr por muito tempo. E sim, eu odeio traduzir “time of your life” como “o tempo da sua vida”, porquê em inglês, a vibe é totalmente outra.

A estética desse vídeo clipe, assim como o de “Basket Case” combinam muito comigo.

É um clássico, não posso negar. Foi a música pela qual eu me vidrei quando era pequena, provavelmente porque era uma das únicas que eu conseguia entender um pouco da letra, afinal, 3G não era uma opção para pesquisar a tradução durante as viagens de carro. Meu discman que diga isso.

Essas duas músicas, ah, não sei direito nem por onde começar. Ambas foram algumas das primeiras que eu conheci e continuam, até hoje, sendo duas das minhas favoritas, não só do Green Day, mas de modo geral também. A nostalgia atinge forte. Lembro certinho de forçar meu inglês até ao máximo para entender a conversa no início do vídeo de “Wake Me Up When September Ends” e de só ter conseguido realmente entender quando a MixTv legendou ela uma vez. Dá um desconto, eu tinha no máximo, com muita positividade, 8 anos.

Vamos parar para enaltecer 21st Century Breakdown, o álbum das três músicas anteriores. Ele é gigantesco, absolutamente genial, as letras fazem sentido se escutadas em ordem, as músicas “se misturam”, a mensagem que ela passa é genial em si e é passada do modo mais genial ainda e inclusive, ele é dividido em 3 atos: “Heroes and Cons”, “Charlatans and Saints” e “Horseshoes and Handgrenades”. As músicas contam a história de um casal de jovens, Christian e Gloria, durante toda a miséria e a esperança do novo século, no final, é um crítica ao governo de George. W. Bush. Para mim, é como a expressão perfeita do Green Day. Sei que muitos não devem concordar, mas a genialidade de ouvir este álbum como ele foi estruturado para ser ouvido é tudo o que eu poderia pedir.

Na minha opinião, esta é uma das melhores música de Uno, Dos e Tré.

“Still Breathing” é do Revolution Radio, o álbum mais recente do Green Day, com certeza uma das minhas favoritas. A letra dela, de novo, é maravilhosa, mas sinceramente, eu idolatro o álbum completo. Apesar de os álbuns anteriores não terem sido os melhores, o “Revolution Radio” é sim um dos meus favoritos. É crítica atrás de crítica ao Trump, quero dizer, só por esse simples motivo, ruim o cd não poderia ser. Inclusive nas apresentações ao vivo dos singles desse álbum, saiu muita crítica a esse infeliz presidente com um clássico “No Trump, no KKK, no fascist USA”.

Quem me acompanha pelo Instagram, ou melhor, assiste os stories no insta, deve ter visto que eu surtei porque comecei a fazer esse post na manhã do dia que os valores do show saíram, as datas foram confirmadas e eu quase tive um ataque do coração por pura alegria e eu, sinceramente, nem sonhava com isso. Pois é, dia 5 de novembro esses 3 caras vão estar aqui em Curitiba e eu não poderia estar mais feliz. Parece um sonho, uma vibe quase de utopia. Já havia planejado viajar quando eles viessem pro Brasil de novo para poder ir em show, sinceramente, um show deles na minha cidade não era uma realidade nem nos meus maiores sonhos.

Fico aqui na expectativa, ouvindo todas essas músicas e infinitas outras do Green Day. Me mantenho desesperada com medo de não conseguir comprar ingresso, mas fé no Billie Joe que eu consigo realizar esse sonho de infância talvez não tão infantil.

(J.D)


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

twittertumblrfanpage instagram

2 Comment

  1. Ezi says: Reply

    Juliana!
    Esse post aqueceu meu coração de gelo! 🙂
    Eu amo Green Day, também!
    É muito fofo mesmo ver tua animação com a banda…
    Eu fui em um show deles em Porto Alegre em 2010… e foi DEMAIS! Foi MUITO BOM!!! De ficar pensando e revivendo aquela noite durante muito tempo…
    Esse ano, Bon Jovi vem pra POA e comprei também… pensando que seria o show do ano.
    E como os ingressos estão caros nem pensei em ir em outro… MAS aí Green Day confirmou em Porto Alegre e na pré-venda pelo BB, eu comprei meu ingresso pela metade do preço!
    É uma banda com um repertório incrível e uma presença de palco maravilhosa!

    Q post gostoso!

    Obs.: Vi teu post no grupo do face com o gif dos comentários e tive que compartilhar na minha página haha, é a mais pura verdade!
    Obrigada,
    Ezi

    1. Juliana D'Ornellas says: Reply

      Ah que delicia ler isso!
      De verdade, é bom demais saber que eu aqueci seu coração de gelo hahaha!
      Green Day é sensacional, pois é, lembro quando eles vieram pro Brasil da última vez, queria desesperadoramente ir no show mas eu era nova demais para essa possibilidade e de quebra, nunca conseguiria viajar para ir no show. Dessa vez eu viajaria, na real que já tinha planejado viajar quando voltassem pro Brasil, mesmo que eu precisasse ir pro Acre hahahahah mas chorei horrores de felicidade quando soube que eles vinham pra minha Curitiba mesmo.

      Ah meu Deus, que bom que gostou! hahahahah
      Estou querendo fazer mais gifs, acho bem “relatable”!

Leave a Reply