Porque eu não quero spoilers de ‘Harry Potter and the Cursed Child’!

A saudade já estava grande de todo esse universo mágico. Afinal, Hogwarts é nossa casa e ficar sem notícias do nosso lar é um tanto quanto doloroso. Mas finalmente, depois de anos de espera, temos novidades, na verdade, temos infinitas novidades sobre o universo de Harry Potter e essa notícia aquece o coração de qualquer potterhead nesse mundo.

É filme para sair em novembro, livro com o roteiro de peça para lançar em breve, é a peça em Londres, é tanta coisa para acontecer, datas que estou esperando, novidades que estou contando os dias para descobrir! Tudo bem, tudo bem, se a curiosidade é tanta poderia me render aos spoilers da peça “Harry Potter and the Cursed Child” que teve sua primeira apresentação ontem (07/06/1998) certo? Isso com certeza iria matar um pouquinho da curiosidade que está me corroendo por dentro! Mas não, decidi que não vou fazer isso e tenho um ótimo motivo para ter tomado essa decisão.

Como já sabemos a J.K. Rowling pediu para quem assistiu a peça manter segredo sobre o que acontece na mesma para todos os fãs poderem se surpreender por si próprios e não por meio de spoilers. Inclusive fez um tweet em português contra os fã-sites brasileiros que estavam publicando spoilers!

3

Mas meu motivo para não ler spoiler algum é muito maior do que isso.

Não sei você, mas eu assisti muitos dos filmes antes de ler os livros e como eu me arrependo disso. Os filmes foram grandes spoilers para mim em diversas situações. Me arrependo de não ter descoberto o Harry, o Ron e a Hermione pelas palavras diretas da Jo; me arrependo de não ter explorado Hogwarts pela primeira vez junto com o trio através das palavras escolhidas pela nossa escritora amada; me arrependo de não ter descoberto quem é Você-Sabe-Quem junto com o Harry; me arrependo de não ter me jogado nessa magia por meio das páginas e não direto pelos filmes.

Não me entendam mal, adoro os filmes e devo muito ao nosso querido “sbt” por ter me obrigado a assistir Harry Potter quando ainda era muito pequena. Mas sabe, queria ter descoberto a magia através das palavras, afinal, como Dumbledore já disse uma vez ao Harry: “Palavras são, na minha nada humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia.”

Toda essa coisa de “a oitava história” me pegou de jeito, é a vida (também conhecida como J.K. Rowling) me dando a chance de ver uma história totalmente nova (apesar de pertencer ao mesmo universo) através das palavras.

Sabe, quando conhecemos Harry Potter nem sonhávamos como essa história iria se desenrolar, não poderíamos imaginar o que iria acontecer! Era tudo um mistério! Pois bem, é assim que me sinto sobre “Harry Potter and the Cursed Child”, é uma nova história que pode ir para qualquer lado, nem sonho o que pode acontecer, é outra chance de descobrir a magia com a minha própria imaginação (já que assistir a peça pelo menos por agora não é uma opção, o roteiro que vai alimentar minha imaginação)! Eu nunca, por nada nesse mundo, trocaria essa oportunidade de ver Hogwarts pelos olhos de uma criança de 11 anos por outra coisa, afinal, é a segunda vez que tenho essa chance e eu não trocaria esse roteiro dessa peça por nenhum outro filme. A Jo nos conquistou com as palavras dela, os filmes foram só um bônus (um lindo de um bônus na verdade) e eu mal posso esperar para me apaixonar pelas palavras dela mais uma vez.

Quando fiquei alguns anos sem nenhuma grande história nova sobre o universo do Harry Potter eu juro que tive um sentimento quase como de luto. É como se um grande amigo fosse parando de te escrever e você perdesse a proximidade que tinha com ele! Meu coração foi partido ao meio e a cada texto novo que saia no Pottermore eu me sentia em casa mais uma vez, mas infelizmente, eu voltava para o mundo real quando aqueles pequenos textos acabavam, afinal, eles não eram novas histórias, eram apenas extras de uma história já contada.

Sei que a grande maioria vai concordar comigo quando digo que esse tal roteiro dessa peça em Londres é como pegar o trem e voltar para casa, ou seja, para Hogwarts.

Sabe, eu quero saber mais do que tudo em que casa cada filho ficou, quero saber mais sobre a vida atual do nosso trio de ouro, quero saber sobre os professores em Hogwarts, quero saber tudo e a curiosidade está me corroendo. Mas eu não quero descobrir em que casa o Alvo Severo ficou por meio de um spoiler que algum qualquer escreveu, quero descobrir tudo isso por meio de palavras da própria Jo, ou no mínimo, de textos aprovados por ela. Não vou me contentar em saber que tal personagem ficou em tal casa, afinal, os personagens da J.K. são complexos demais para serem definidos só por suas casas. Eu confio no que ela escreveu, no que ela escolheu, eu confio nela e por isso mesmo prefiro descobrir tudo isso do modo que ela planejou que a gente descubra. Nós sabemos o quanto foi maravilhoso o modo dela de nos apresentar Harry Potter e eu tenho certeza que ela tem outro modo maravilhoso planejado para nos apresentar a personalidade de cada um dos filhos.

O universo mágico é dela, nós temos que agradecê-la por nos deixar entrar nele e eu acho que o melhor modo de agradecer a Jo é dar a ela a garantia de que vamos conhecer essa história do modo que ela escreveu a mesma, que vamos nos apaixonar pelo mundo mágico mais uma vez cumprindo o que ela planejou para nós, na ordem que ela planejou, no modo que ela planejou, afinal, uma coisa é certa, ela sabe muito bem como fazer a gente se apaixonar por uma história.

E ai? Qual a sua opinião sobre os spoilers da oitava história? Vai aguentar até sair o livro com o roteiro ou não?

Meu último argumento é o mais simples e com certeza o mais forte: se a rainha diz uma coisa com aquela voz maravilhosa dela e com aquele sotaque que é dono do meu coração, bom, eu nem discuto, eu só obedeço e aceito que ela tem seus motivos para querer que nós não fiquemos sabendo dos segredos de qualquer jeito! #KeepTheSecrets

(J.D)


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

twittertumblrfanpage instagram

2 Comment

  1. Oi. Estou até “meio que” sem saber o que comentar sobre esse seu texto! :p
    Você disse tudo, foi o que senti quando acabou: como se alguém muito querido parasse de me escrever. Aliás, é o que sinto cada vez que algo que amo acaba. Mas a JK é diva demais e não nos deixa desamparados hahah
    Eu comecei a gostar de Harry Potter há pouco tempo. Aliás, faz uns 5 anos, mas perto de algumas outras pessoas, isso é pouco. rsrs Mas mesmo assim eu entendi exatamente o que você quis dizer com “voltar para Hogwarts”. É um mundo fantástico demais pra não querermos estar de volta.
    Sobre os spoilers, já vi alguns, não quero saber mais, mas também não “estragou” pra mim, sabe? Acho que isso seria impossível. Porém, concordo com tudo o que você disse. A J.K. sabe exatamente o que está fazendo, e se ela quer, a gente tem que obedecer! hahah
    Enfim, gostei muito do seu texto! *-*

    Beijos!

    1. Juliana D'Ornellas says: Reply

      Ai como é bom ler isso! Como eu disse, só quem é fã sabe o quanto Harry Potter é importante nas nossas vidas!
      Eu gosto faz uns 9 anos mas mesmo assim, ainda é pouco se for comparar com outras pessoas! Mas sinceramente, o tempo não é nada sabe? O que importa é que nos encontramos e nos sentimos seguros em Hogwarts e é isso ai, é a nossa casa independente do tempo em que nós conhecemos ela.
      Que bom concorda! <3
      Fico feliz demais em ler isso! <3
      Beijos!

Leave a Reply