Como ficar fluente no inglês!

Este post vai ser bem extenso e cheio de exemplos da minha vida, porque não quero que ele seja “estude”, “treine”, fim e boa sorte no inglês! Quero que dê pra ver que cada um pode adaptar maneiras de melhorar o inglês para a própria vida de uma maneira que goste!

Fluência vai bem além do que você aprende no curso de inglês! É o que você usa na vida, no dia a dia, é entender gírias, expressões e não simplesmente um vocabulário decorado de coisas. Mas vamos ver uma coisa bem importante aqui: você nunca escreve nada errado em português? Se pergunta se deve usar “esse” ou “este”? Tem ou têm? Nunca conjugou errado um verbo? Nunca esqueceu uma palavra e não conseguia lembrar dela por nada? É normal ter essas dúvidas, mesmo na sua primeira língua.

Ou seja, ter esses momentos em inglês também é normal.

No geral, nos curso de inglês, aprendemos uma linguagem formal, não extremamente formal como em livros antigos em inglês que você pode ler, mas formal. De uma maneira que a gente consegue construir textos apresentáveis com esse vocabulário e no geral (se o curso for bom, acredito) aprendemos palavras e construções que não demos usar em textos, só na fala, assim como fazemos em português.

Nas aulas de inglês ouvimos aqueles áudios bem pronunciados, com calma, formais, construídos com a estrutura mais comum e sem qualquer ruído de fundo, na vida real é bem diferente e eu não estou falando só como é lá no Estados Unidos por exemplo, estou falando de em séries ou filmes onde os personagens dizem muitas gírias, fazem piadas que envolvem algo cultural deles e não podem ser traduzidas sem perder o contexto, falam rápido e muito mais; em entrevistas com um audio ruim, com muito barulho de fundo e de novo, cheias de gírias que as pessoas usam no dia a dia.

Se não entenderam uma expressão ou gíria usada em algum lugar, não deixe pra lá porque você entendeu o recado que foi passado, pesquise! Sério! Vocabulário é tudo nessa vida, porque saber essa expressão pode ser o que vai fazer você entender algo no futuro que sem ela, não seria possível! Isso foi uma das coisas que mais me ajudou. Assistia série sem legenda com o google já preparado. Isso em si é uma dica muito boa, consumir esses conteúdos que deixam a compreensão de tudo um pouco mais complicada por causa de todos esses fatores que já falei, como gírias, expressões e ruídos de fundo. Eu, sinceramente, indico MUITO assistir entrevistas, como elas são mais expontâneas e elas não vão ser regravadas (como em filmes e séries) se a dicção da pessoa não ficou tão perfeita quando nos áudios de um curso de inglês, elas são um pouco mais a realidade.

Assistir série sem legenda é outra dica. Eu simplesmente não conseguia baixar legenda (Netflix kids não vão entender o problema) e comecei a assistir sem. Detalhe que não tinha nem o certificado de inglês iniciante na época, estava no book 1 do meu curso, tinha feito 1 ano de aula antes disso mas era pra criança tipo, básico mesmo tipo “Orange é laranja”, “How are you?” “I’m fine, thanks” e fim. Acho que foi uma das coisas que mais ajudou meu inglês, além do Twitter, mas isso é outra história. Se quer por legenda, que tal por em inglês então? Vai te ajudar muito com vocabulário já, apesar de que – na minha opinião – vai dificultar um pouco a questão de compreender o que estão dizendo só com o áudio.

Resumindo, consuma conteúdo em inglês e se teste com ele!

A verdade é que a gente pode viver enfiado no cama assistindo filme em inglês, mas nem por isso não precisamos nos comunicar pra treinar. Sabe prática vs. teoria? É isso aí! Pode ser pessoalmente com alguma pessoa de fora, um amigo/familiar/conhecido que saiba falar inglês também ou, no meu caso, rede social! Seja qual for ela ou como você for usar, ela ensina muito, por mais bobo que possa parecer, um Twitter em inglês que eu tinha foi o que mais me ajudou nisso.

Eu parei meu curso de inglês por dois anos, tudo isso um livro antes de eu terminar ele, quando fui voltar, fui fazer uma “entrevista” para ver se precisava voltar um livro, fazer algumas aulas de reforço ou se poderia ir pro próximo livro mesmo, como se eu nunca tivesse parado. No final da entrevista, que foi uma conversas toda em inglês, bem longa, a diretora do curso me disse exatamente isso: “Eu não sei como você fez isso, mas você é fluente. Você usou o vocabulário que ainda iria ter. (…) Você pode terminar o curso, mas não precisa…só se quiser o certificado mesmo.”. Eu acabei fazendo mais alguns meses do curso, principalmente pro meu professor me ajudar a melhorar a pronuncia (fazia uma aula em que era só eu e o professor) e aprender novos sotaques. Mas realmente, eu já sabia toda a matéria e eu fiz isso via Twitter, que no caso, era de fã sobre One Direction (e ainda dizem que ser fã não ensina nada).

Meu vocabulário aumentou TANTO graças à isso que eu não sei explicar, ele triplicou mesmo. Lembro que quando criei esse tt, eu ficava assistindo os video diaries do One Direction nas escadas do X-Factor e eu simplesmente não entendia 50% do que diziam por que o audio era péssimo, um falava (gritava) por cima do outro, os 5 sotaques diferentes deles (britânicos e irlandês) me confundia demais, por mais que tenho consumido muito sotaque britânico com Harry Potter. É que como eu disse antes, nos filmes a dicção estava sempre limpa e perfeita e ali, não.

Eu ficava horas, todo dia, pra entender o que eles diziam em trechos que eu não conseguia desvendar porque não conhecia o vocabulário deles, várias gírias e expressões que usavam não eram americanas ou eu simplesmente não conhecia elas. Eu pesquisei, assisti outras entrevistas deles legendadas pra eu aprender algumas expressões que eles sempre usavam, meu vocabulário melhorou de conversar com as pessoas no Twitter, aprendi a entender como um sotaque mudava completamente uma palavra e deixava ela incompreensível até que tudo se tornou bem compreensível, eu prestava muita atenção no que diziam no tt e eu sempre botava em prática seja lá que palavra eu tivesse aprendido. Em menos de 6 meses, comecei a legendar os vídeos do One Direction pra um site porque agora eu tinha o vocabulário e todo o conhecimento que eu precisava pra isso e desde então, o que foi em 2012, nunca mais tive problema com falta de vocabulário. Foi assim que fiquei fluente mesmo longe do curso. Então, treine!

Não é simplesmente fazer lição de casa do curso, isso é decorar vocabulário, é treinar mesmo, na prática!

Como legendei muito vídeo nessa vida, desde Harry Potter, One Direction até centenas de Vines da Kylie Jenner; li algumas dezenas de livros em inglês, eu estava acostumada com o inglês no dia a dia. Eu sempre pensei em inglês, meu cérebro parece fazer mais sentido assim, por isso, criei o hábito de escrever o tempo todo em inglês (e eu escrevo muito, porque esse é o meu desabafo, por assim dizer). Escrevi tanto que, caso você não saiba, a primeira motivação para eu criar esse blog foi treinar escrever em português porque eu estava com muita dificuldade, esqueci completamente quando acentuar uma palavra (sério, só acentuava “você” e “está” praticamente), tinha problemas com pontuação, tudo porque eu estava muito acostumada a escrever na minha segunda língua. A dica aqui é: escreva, leia algo que você goste! Não precisa mostrar pro mundo, mas é que na teoria é uma coisa formular frases, na prática, as vezes é outra e isso é algo que eu tinha deixado de fazer e notei que estava demorando mais que o normal para formar uma frase, amém já voltou o normal só com um pouquinho de treino mas a questão também é essa, manter o inglês sempre presente.

Uma boa maneira de continuar sempre melhorando é com os vídeos do Gavin! Apesar de ele ter vídeos com alguma dicas muito básicas, ele explica algumas coisas que eu sabia mas nunca soube o porque (o que é maravilhoso para quem está começando a aprender agora, inclusive), dá dicas para esconder o seu sotaque e aprender novos, melhorar a pronuncia, tira dúvidas bobas de uma maneira bem simples e por aí vai.

Por exemplo, como no inglês não tem acentuação, quando lemos uma palavra pode parecer confuso como se pronuncia ela, acabei aprendendo a fazer isso com o tempo mas na verdade, se anos atrás eu tivesse trombado com este vídeo na internet, o processo teria sido bem mais curto.

Minha última dica que é o que mais me ajudou a falar com naturalidade (digamos assim) é traduzir tudo. Por exemplo, eu li este post em inglês por mais que ele estava escrito em português. Sabe quando tem um premiação e duas pessoas traduzem o que as pessoas estão dizendo ao vivo? Tipo isso, só que com textos e do português para o inglês. Isso ajuda a estruturar as frases com mais facilidades, perceber as diferenças delas de uma língua pra outra e de quebra, eu presto atenção na pronuncia e trabalho em cima dela!


Espero que essas dicas te ajudem de alguma forma e que o seu inglês melhore cada dia mais, afinal, este é o ponto de todo o post e eu amei fazer ele! Me fez ver como foi um jornada, como eu, na verdade, me empenhei nisso e nem se quer notei na época porque gostava disso. Inglês é uma paixão enorme que eu tenho, línguas são na verdade é. Ainda curso letras inglês/português nessa vida, pode ter certeza.

(J.D)


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

twitter – tumblr – fanpage – instagram

 

Deixe uma resposta