Filmes baseados em fatos reais com críticas sociais!

Dizem que arte tem que fazer com que você sinta algo e esses filmes definitivamente fazem isso. Quero dizer, você sente nojo do comportamento preconceituoso dos outros, orgulho de quem os enfrentou e se for como eu, também chora litros só de orgulho de quem meteu a cara ajudar a abrir mais a cabeça desse nosso mundo!

Nós sabemos – ou pelo menos deveríamos saber – que o mundo está todo errado (acho que nem preciso citar o Trump) e o Brasil está muito bem incluído nesse buraco cheio de gente com a cabeça fechada, preconceituosa e que se incomoda demais com a vida alheia. Estamos todos tão afundados em preconceitos que acho que as vezes faz bem assistir filmes como esses para lembrar que tudo tem jeito, que as coisas já foram piores e tudo ainda pode melhorar. Bora abrir a mente fechada de algumas pessoas?


Estrelas Além do Tempo ou Hiden Figures:

Quer saber mais, aqui está uma sinopse e saiba que este filme está concorrendo ao Oscar 2017! Se ser mulher já dificulta as coisas e faz com que duvidem da sua capacidade em pleno 2017, imaginem só como era ser mulher, negra e tudo isso em 1961 na NASA.

1961. Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte. É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

Sinopse do adorocinema.


O Jogo da Imitação:

A crítica social não é o foco principal do filme, a grande crítica acontece mesmo no final do filme mas socorro como eu chorei. Não vou falar o que é exatamente porque estragaria o seu futuro coração partido, saiba apenas que pegou fundo no coração e eu chorei horrores. Foi como a prova definitiva de que as vezes o mundo insiste em ser péssimo com pessoas boas, tudo motivado por esse medo absurdo do diferente.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke (Keira Knightley) sua grande incentivadora.

Sinopse do adorocinema.


A Garota Dinamarquesa:

Já falei desse filme aqui no blog, já disse o quanto eu sou apaixonada por essa história, pela atuação do Eddie e resumindo, esse filme é meu favorito quando a questão é quebrar tabus. Acho que de todos os temas tratados nos filmes que eu coloquei aqui, este é o que ainda mais sofre com preconceito, tabu, violência e segregação é este (sem menosprezar os outros é claro pois todos ainda são problemas atuais mas é que ser transexual, ou melhor, a simples palavras transexual assusta muito as pessoas).

Posso dizer que pesquisei muito sobre o assunto, literalmente fiz um trabalho de sociologia sobre isso e depois de tanta pesquisa eu criei um respeito maior ainda por quem passa por tudo isso e se mantém firme.

Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.

Sinopse do adorocinema.


As Sufragistas:

O filme feminista que você respeita. Sou apaixonada por esse filme (sinceramente, acho que disse isso sobre todos esses filmes mas tudo bem), acredito que ele mostra para as mulheres que dizem “eu não preciso do feminismo” que sim, elas precisam se não elas não estariam onde estão hoje e eu, como sempre, adoro um bom tapa na cara (como sou delicada não é mesmo) de quem não sabe o que está falando.

No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts (Carey Mulligan), sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. Ela enfrenta grande pressão da polícia e dos familiares para voltar ao lar e se sujeitar à opressão masculina, mas decide que o combate pela igualdade de direitos merece alguns sacrifícios.

Sinopse do adorocinema.

Vocês podem saber mais sobre as sufragistas lendo este post aqui.


Espero que gostem dos filmes, do post e que estes filmes te deem um pouco de esperança na humanidade e aquele desejo interior de mudar o mundo que eu acho essencial! Vai dizer, no mínimo isso vai render uma boa sessão de cinema então já está valendo!

ps: sei que tenho postado menos no blog mas foi por motivos pessoais e isso já vai acabar (eu espero)!

(J.D)


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

twittertumblrfanpage instagram

Leave a Reply