Dicas para dar um “reset” emocional na sua vida!

Precisei que o meu cantor favorito, da minha banda favorita a 13 anos falasse algumas coisas pra eu entender como era simples e poderia ter pelo menos começado a dar o tão necessário reset na minha vida antes. Um dos melhores momentos da minha vida, aquele 1 em 1 milhão de variáveis pra eu conseguir olhar pra mim mesma e ver como eu mudei, mas mudei pra alguém que eu não gostava mais. Sem muito “mimimi” porque esse papo de “como minha vida mudou” sempre me frustrou um pouco pois eu nunca era a pessoa passando por isso, só queria dizer que tenho um longo caminho ainda (vários km) afinal, nesse momento parece que vou ter um ataque cardíaco, estou extremamente nervosa e o que desencadeou tudo isso foi que o tomate cereja que acabou (longa história), mas o pontapé para eu estar tentando ficar mais calma, conseguindo respirar um pouco mais fundo antes de ter um breakdown a cada 5 minutos foi dado pelo Billie Joe (minha paz comigo mesma estava próxima de uma rodinha punk, quem diria) e é isso aqui que estou fazendo para tentar seguir nessa linha.

  1. Unfollow no que é tóxico.

    Essa eu aprendi faz anos mas sempre preciso renovar. Desde amizades tóxicas, antigos relacionamentos, pessoas que te deixam inseguro, pessoas com opiniões que acabam te afetando de forma negativa, gente que te deixa ansioso, que julga demais, fala de forma agressiva. Todos temos aquelas pessoas tóxicas que ainda queremos perto, mas se afaste delas, dê unfollow mesmo em todas as redes sociais que eu prometo que quando aquele mesmo nome parar de se repetir você vai parar de pensar nessa pessoa (seja ela quem for) e se sentir bem melhor consigo mesmo. Quando menos perceber, vai dar de cara com ela em algum lugar ou rede social sem querer e pensar “Quanto tempo!” e ver o quanto se afastar fez bem. Que a única coisa toxic na sua vida seja a música da Britney.

  2. Redes sociais

    Prometo que NÃO é um texto sobre como redes sociais destroem a sociedade e você deveria viver a vida real, é sobre encarar elas de maneira diferente!

    Sei que soa obvio, mas você NÃO É OBRIGADO a estar online, a ter uma vida online, a mostrar ela online! Redes sociais só mostram a melhor parte de todo mundo. Vocês tem ideia de quantas vezes postei uma foto no Instagram enquanto tinha uma crise de ansiedade que virou de pânico? Muitas! Sem querer soar como uma velha criticando os jovens de hoje em dia, mas sério, viva sua vida um pouquinho e não poste ela, você vai ver como saber que aquele momento foi só seu e nenhum like vai fazer dele maior vai diminuir sua ansiedade.

    No meu caso, WhatsApp é o maior veneno. O fato de que eu estou “disponível” para todo mundo no Whats o dia inteiro é tortura psicológica para mim. Já o Facebook e Instagram são redes sociais que criam uma comparação inevitável entre uma pessoa e outra, nas horas de ansiedade isso não é bom mesmo (apesar de cultivar essa tortura psicológica as vezes), então, para dar um reset se afaste disso um pouquinho, volte depois com uma mente mais tranquila pra sua vida online e poste porque quer. Se você quer dar esse reset, não confira o número de likes ou de comentários, só aceite que compartilhou algo maneiro e que alguém vai ver aquilo e te entender, isso é o que – no final das contas – deveria importar o tempo inteiro.

    Não precisa jogar o computador de lado, por exemplo, o Tumblr é bem terapêutico para mim – me dá vontade de desenhar, tocar violão, sair da minha caixinha do dia a dia e fazer outras coisas que eu amo! – a questão, é o manter a sua vida pra você mesmo um pouquinho, sem expectativas, só o que você está sentindo! Não vou te dizer pra “desligue o computador e vá para os parques” porque isso não necessariamente vai te fazer bem, mas se afaste do que te estressa online e gera qualquer ansiedade dentro de você por um tempinho, 3 dias podem mudar tudo.

  3. Seu lugar seguro.

    Isso particularmente me ajuda muito. Música é onde eu me encontro, sempre foi, é como eu lido com a realidade. Ler me tira da minha realidade, poder ficar em Hogwarts por algumas horas tira um peso enorme dos meus ombros e alimenta a mágica dentro de mim! Crie esse balanço entre essas duas coisas, não a música e os livros, mas o que te ajuda a lidar com o mundo real e a sua maneira de fugir dele um pouco para acalmar o coração.

  4. Veja outras vidas como motivação

    Desde documentários que te mostrem uma maneira legal que outra pessoa encara o mundo (estou atrasada para assistir o da Lady Gaga até hoje); filmes de histórias reais, como o Teoria de Tudo, Garota Dinamarquesa (Eddie em peso nos dois filmes), Estrelas Além do Tempo e muitos outros que meu cérebro falha em lembrar o nome; até filmes fictícios que alimentem aquela coisa boa dentro de você! Seu filme favorito de quando você era criança é uma ótima sugestão.

Cada um tem seu próprio jeito de se acalmar, de se reencontrar, por isso deixei as coisas bem amplas, para você conseguir adaptar cada dica para a sua vida. Ao contrário de como é comigo, a música pode não ser o que vai te ajudar; os shows que me acalmam tanto são pesadelos pra outras pessoas que também tem crise de pânico. Não sou psicóloga, na verdade, nunca gostei muito de ir no psicólogo  – apesar de que quando você acha o profissional certo é muito bom, o difícil é achar o certo. Fica essa dica também, se você odeia ir no psicólogo, mude de psicólogo – só estou dizendo o que me ajuda e que pode ser o caminho para te ajudar. No final das contas, vale tentar, afinal, são coisas bobas e simples que vão (provavelmente) de qualquer maneira deixar seu dia a dia mais leve e quem sabe te colocar em um lugar melhor na sua própria vida. Mas vale dizer que a opinião dos seus médicos vale mais do que a minha, okay?

(J.D)


Siga o blog e saiba antes de todo mundo que tem post novo no Lua de Vênus.
siga no BLOGLOVIN +  ou  + siga no BLOGS BRASIL +

twitter – tumblr – fanpage – instagram

Leave a Reply